Magia em poesia pura… é Cortázar!

“Uma vez que um parente dos mais distantes chegou a ministro, nos arrumamos para que nomeasse boa parte da família à sucursal de correios da Rua Serrano.
Durou pouco, isso sim.
Dos três dias que estivemos, dois passamos atendendo ao público com uma competência extraordinária que nos valeu a surpreendida visita do inspetor do Correio Central e uma nota elogiosa no jornal La Razón.
Ao terceiro dia estávamos seguros de nossa popularidade, pois a gente já vinha de outros bairros a despachar sua correspondência e a fazer telegramas a Purmamarca e a outros lugares igualmente absurdos.
Então meu tio o mais velho deu por livre a escolha, e a família começou a atender de acordo com seus princípios e predileções. No guiché de emissão de cartas, minha irmã a segunda obsequiava um balão colorido a cada comprador de selos.
A primeira a receber seu balão foi uma senhora gorda que ficou como paralisada, com o balão na mão e o selo de um peso já umedecido que se ia enroscando pouco a pouco no dedo. Um jovem cabeludo se negou de pronto a receber seu balão, e minha irmã admoestou-o severamente enquanto na fila do guiché começavam a suscitar-se opiniões desencontradas.
Ao lado, vários provincianos empenhados em enviar insensatamente parte de seus salários aos familiares distantes, recebiam com algum assombro copinhos de licor e de vez em quando uma empanada de carne, tudo isto a cargo de meu pai que ademais recitava-lhes a gritos os melhores conselhos do velho Vizcacha.
Enquanto isso meus irmãos, a cargo do guiché de encomendas, untavam-nas com alcatrão e as metiam em um balde cheio de plumas. Depois apresentavam-nas aos estupefatos clientes. E faziam-lhes notar com quanta alegria seriam recebidos os pacotes assim melhorados. “Sem pontinhas a vista” diziam. “Sem o lacre tão vulgar, e com o nome do destinatário que parece que vai metido debaixo da asa de um cisne, vejam.”
Não todos se mostravam encantados, há que ser sincero.

Quando curiosos e a polícia invadiram o local, minha mãe cerrou o ato da maneira mais bonita, fazendo voar sobre o público uma multitude de flechinhas coloridas fabricadas com os formulários dos telegramas e cartas certificadas.
Cantamos o hino nacional e nos retiramos obedientes; vi chorar a uma menina que havia ficado terceira na fila do guiché e sabia que já era tarde para que lhe dessem o balão.”

*Em Historias de Cronopios y de Famas – Julio Cortázar

Ando perfeita e absolutamente enamorada de Julio Cortázar!
Como pode uma criatura fazer poesia numa história assim?
Como consegue prender a gente em suas histórias como se fossem teias de aranha cobertas de pequenas gotas de puro cristal?
Não resisti. Traduzi uma delas e trouxe aqui.
Que ousadia a minha!

Anúncios
Categorias: Livros, Poesia & BelosTextos | Tags: , , | 11 Comentários

Navegação de Posts

11 opiniões sobre “Magia em poesia pura… é Cortázar!

  1. Aqui vai o teu amigo a te dar dicas… Vá ao Idelber Avelar (link bno meu blog), um mineiro professor de literatura latino-americana em New Orleans. O cara é um sábio e fez vários posts e dicussões sobre Cotázar nos últimos dias. Bon voyage! Um beijo.

  2. Nora,
    Que lindo mesmo! Eu li um livro dele ha muitos e muitos anos e nem me lembrava mais quao bonito ele podia ser…
    Grande beijo, menina!

  3. Testando o comentário.

  4. Que você tenha sempre a “ousadia” de traduzir e nos trazer maravilhas como essa. Um beijo carinhoso, Nora.

  5. É simples, ele nos unta de alcatrão e nos mergulha em um balde de plumas. É um louco.

  6. Vim pra te deixar um bjão…
    Bjokas

  7. Foi mera coincidência o azul com letras brancas e Júlio Cortázar, não? 🙂
    Ele é muito bom e há traduções publicadas, mas as suas são muito bem-vindas.
    Se o texto não perdeu o vigor, e não perdeu, a tradução foi bem feita.

  8. Eu gostaria muito que você respondesse.
    Bastaria copiar as perguntas, respondê-las, publicá-las aqui e indicar ao menos três pessoas para fazerem o mesmo.

  9. Não conheço Julio Cortázar! Só o nome!
    Mas este naco maravilhosamente louco que traduziste deu-me uma ideia do seu grande talento.
    Noutra dimensão: espero que continues a sentir-te bem na tua nova casinha.
    Jinhos

  10. Olá Nora… muito lindo este seu blog!!! Adoreeei seu comment no meu blog novo… meu silêncio é mais de fuga do que de paz… não sei lidar com isso…
    É bom conhecer pessoas como vc, q amam a arte, a poesia… q sabem irrigar a alma com oq há de mais belo neste mundo…
    Beijos e me visite sempre!
    ;***

  11. Boa tarde!
    Que surpresa agradável descobrir Julio Cortázar em seu blog! Eu me apaixonei por ele quando li “O jogo da amarelinha”, ano passado. De lá pra cá comprei todos os livros dele que pude. A maioria em sebos, que são tb uma paixão pra mim. Ele poetizava seus textos como poucos.
    Fora Cortázar, seu blog está muito bacana. Vou voltar sempre.
    Simone

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s