Um Toque Gitano…


Estou enamorada pelo Flamenco. Outra vez.
A primeira foi pela guitarra de Paco de Lucía. A segunda pela música de Manuel de Falla. A terceira pela de Vicente Amigo.
E, pelo que vejo, vou enamorar-me ainda muitas vezes.
Tomara. Este estado me encanta porque fico totalmente voltada para o objeto de minha paixão.

Estou já na quarta vez.
E o motivo é o filme de Jaime Chávarri sobre um dos mais famosos cantores de Flamenco da Espanha, Camarón de la Isla.
Adorei.
O Flamenco é uma mescla do canto andaluz, lá pelos idos do século XV, de grande influência árabe, com os ritmos trazidos pelos ciganos. Por aqueles tempos a música era cantada “a cappela”, acompanhada apenas por palmas. Só muito depois entraram as danças, as guitarras e os sapateados.
A historia do flamenco é linda. Não tinha qualquer ideia das muitas variações de estilo que possui. Nem me atrevo a escrever sobre elas, pois ainda estou aprendendo, pouco a pouco, a entendê-las.
Assistir o filme me animou a escutar mais, ler e perguntar mais… e o mais importante, a gostar muitíssimo mais!

Camarón foi um duende do Flamenco.
É considerado até hoje uma das mais extraordinárias figuras artísticas da Espanha e desse estilo musical.
Ele inovou tanto na forma de cantar quanto nos acompanhamentos que intruduziu em suas apresentações e gravações, junto com os guitarristas Paco de Lucía e Tomatito, incorporando instrumentos como a flauta, o piano, as caixas acústicas.
Sua presença no tablado impressionava a audiência e ele conquistou o respeito internacional dos aficionados ao Flamenco. Inclusive foi convidado a gravar com a Orquestra Filarmônica de Londres, um fato inusitado para um músico gitano.

O filme é uma biografia em ficção de sua vida e sua arte, com um ator – Óscar Jaenada – especialmente iluminado para o papel.
Segundo os que conheciam Camarón ( sua mulher, filhos e amigos próximos ) ele está perfeito para o papel e quando abre a boca para o canto em playback, parece ressuscitar o amigo, o pai, o marido.
Se eu me emocionei, imagino eles!

Anúncios
Categorias: Baú de Cultura, Cicatrizes da Mirada, Filmes, Música | Tags: , , | 18 Comentários

Navegação de Posts

18 opiniões sobre “Um Toque Gitano…

  1. Bonitos, hein? Tanto o cantor na vida real quanto o ator.

  2. Dei uma aula inteirinha sobre flamenco hoje. Flamenco es magia.
    No vídeo uma cantaora de Lebrija dizia que “el cante flamenco, flamenco puro es sólo de gitanos” e outro cantaor dizia “nosotros no necesitamos ir adentrando dentro del flamenco. Nosotros nacemos y permanecemos en el flamenco porque somos el flamenco mismo”
    É uma coisa tão intensa que é difícil de explicar, descrever. Sou uma aficcionada pelo flamenco.
    Fico de quatro por essas manifestações culturais 🙂
    Me empolguei, desculpa…risos

  3. Ola Nora,
    Será que este filme vai passar aqui na Maryland???
    A minha filha(alias a familia toda), é apaixonada por Flamenco. Bianca(minha filha), está num curso de Flamenco Dance e adora. O mes passado, fomos a uma apresentacao de Flamenco e gostamos muito.
    Beijos,
    ME

  4. O ritmo é dreaming. E eu adoro Paco de Lucía. Quanto ao filme, tomara que venha logo.

  5. 🙂
    Gostei da musiquinha.

  6. Nora, obrigada pela visita e pelo chover no molhado. (rs) Pois é, beijo nunca é igual e tem ainda aqueles que, por algum motivo, sempre vão estar mais vivos na lembrança.
    E se você escrevesse sobre as idades da mulher seria bacana! O “chato” do Afonso fez isso há alguns meses atrás, mas era a visão masculina dele. Sabe como é homem, nada contra eles apesar do meu “desapego”, mas seria interessante uma outra visão. Na verdade, cada um tem a sua opinião sobre tudo e aí está toda a magia da troca de idéias e opiniões.
    Um beijo!

  7. Acabei de ler teu mais recente comentário. Sabe que escrever como eu escrevo e sobre o tema, que é basicamente o mesmo (rs), expõe a minha vontade de falar para quem quiser ouvir. Para que eu mesma me ouça. De alguma maneira. Esse amor genuíno, como você disse, por mim mesma, revela o amor genuíno que eu sinto por alguém que simplesmente não me quer mais como antes. Mas nem por isso eu deixo de amar, porque amor nunca é pergunta, portanto, não precisa resposta para estar, para ser.
    E é bom saber que as pessoas gostam. Afinal de contas, aqui ou aí, ali ou lá… todo mundo passa pelas mesmas coisas. As formas é que são diversas.
    Obrigada pela atenção.

  8. Oi Nora, sou professora do Departamento de Linguas Romanicas em uma universidade. Então dou aulas de espanhol, literatura espanhola, hispanoamericana, cultura, etc. Depende do semestre. Esse semestre peguei uma disciplina chamada “Cultura y Civilización Española”. Um deleite… 🙂
    Beijocas!

  9. Eu também adoro o flamenco; com a dupla indicação, sua e da família, discutir o quê?

  10. Muita Nora Borges em meu blog!

  11. Iracema

    Querida Nora!
    Tenho lembrado muito de vocês e certamente eu adoraria ter participado da andança por Madri com o Milton e a Cláudia. Tenho acompanhado teu blog e devo confessar que sou completamente fascinada por flamenco. Gostei da dica sobre este filme.
    Beijos
    Iracema

  12. Obrigada pela visita. sabe que eu sempre venho até aqui, mesmo sem comentar 🙂
    Bom que gosta dos contos.
    Bj laura

  13. Ah, Norinha, passional como eu sou, o Flamenco foi feito pra mim! adoraria aprender a dançar e fazer aqueles gestos dramáticos!!!
    Lindissima, a música!
    Um beijo enorme!
    ps.: Você não vem a Recife, esse ano?

  14. Nossa, que blog lindo! E a música também. E que ótima conversa.
    Parabéns.
    Marilia, chegando aqui pela primeira vez.

  15. Eu e minha alma Gitana adoramos.
    Já dancei, até que bem, o Flamenco, as Sevilhanas todas. Hj nem me lembraria.
    Desde já, minha querida, agradeço o presente que o Milton ficou de enviar.
    Um enorme beijo e mais uma vez obrigada. O encontro de vcs deve ter sido delicioso.
    beijão

  16. Mahai

    Nora
    Sou fã incondicional de Camarón.
    Bono Vox (U2) o considera dos melhores cantores de todos tempos.
    Música de difícil aceitação, chorada e manhosa. Meus vizinhos não gostam.
    Lembro da comoção de sua morte na véspera da Olimpíadas, mesmo os catalões reconheciam sua arte tão andaluza.

  17. Mahai

    Para complementar. E Las Grecas?
    Simplesmente perfeitas. Mistura de rock, música árabe, greca, gitana,… em pleno anos 70!

  18. Olá, meu nome é Gabriel, sou guitarrista flamenco, e pude notar que tem um pessoal aqui que curte flamenco, por isso resolvi deixar uma mensagem. Desenvolvo um trabalho com a bailaora,coreógrafa e diretora da Dart Flamenco do Brasil, Cylla Alonso. Gostaria de convidálos a acessar o nosso site, http://www.dartflamencobrasil.com.br. Em janeiro e fevereiro estaremos dando cursos de férias em São Paulo, caso se interessem. Um abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s