Idades Para Viver…

Quando cumpri os 50 anos pensei em escrever sobre o que está significando para mim ter esta idade, seu efeito no meu mundo, tanto interno quanto externo. Mas não estava tão simples e fácil…

Há dias que me sinto jovem e cheia de vida, sexy até. Tenho vontade de sair e comprar uma saia nova, botas de cano alto, brilho para os lábios…
Sorrio para o espelho do quarto e agradeço a grande oportunidade que a vida está me dando de viver um amor maduro e gostoso, um casamento para breve, uma paz interior, uma alegria ao despertar de cada dia. A saúde vai bem, o que é essencial. O amor também, o que é fundamental. Nada para queixar-me.
Em outros parece que o espelho resolve brincar de bruxo mal e me mostra horrível, envelhecida, sem graça, sem brilho. É difícil até escolher uma roupa para vestir. Nenhuma cor combina com este estado de espírito. E menos ainda com este sobrepeso. Mulher extra-large não cabe em qualquer trapo!

Já sei! Já sei!

Meu olhar escapa dos olhos, desce pelas rugas que não estavam aí até ontem ( ou sim? ou não?) e passeia pelo resto de um corpo que não é mais o que eu me lembrava que tinha até o ano passado.
A menopausa avisa que está chegando com frios e calores, mudanças bruscas de humor, ansias desconhecidas. Medos novos. Ganas de chorar por nada e por tudo… que tudo?
Quem quiser que diga que não, mas cumprir 50 anos é uma passagem. Como se a gente cruzasse o umbral de uma porta sem saber para onde está indo, nem no que vai se transformar. Cada mulher entra e sai desta experiência de um jeito. Apesar das semelhanças em geral, as particularidades contam.
– Como será que vou ficar depois desta passagem?
– E os hormônios? Vou virar EX também neste sentido? Arrisco ou não a reposição hormonal tão polêmica nos meios médicos ?
Pois sim… escrever sobre o desconhecido momento que estou passando não é fácil.
Mas, um dia destes, deparei-me com um pequeno artigo na seção “Manual de Curiosos” do Magazine, suplemento semanal do El Mundo, que ajudou-me a refletir sobre minhas muitas idades. E isso me fez um bem danado. Vou dividir e explicar aqui. O assunto dá muito pano pra manga. Querem ver ?
Para começar ele diz: “Não temos uma idade, temos sete.”

A ilustração é um belo quadro de Grien, um pintor alemão do século XVI e está entre suas melhores obras, atualmente exposta em um museu de Leipzig.
O quadro foi batizado assim: “As Sete Idades da Mulher”, mas apesar da alegoria estar representada por figuras do sexo feminino, creio que podemos generalizar para toda a espécie humana, sem distinção de gênero.
Pois sim…
O que vale aqui é que sua obra serviu de ilustração para relacionar as sete idades que uma pessoa tem ao mesmo tempo.
A idade cronológica é apenas uma delas. Talvez a mais importante na hora de pedir um empréstimo ou preencher formulários médicos, diz a autora do artigo, Cristina Frutos. Mas certamente não é a mais importante para quem está vivendo. Mede apenas os anos vividos desde o dia do nascimento.
Pessoas com mais idade cronológica podem sentir-se, e realmente serem, muitíssimo mais jovens que outras com menos tempo de vida que elas. (Ou o contrário!)
A gente precisa rever os conceitos de juventude e velhice. E é isso que tenho feito ultimamente. Estou revendo meus antigos conceitos! O artigo da revista é pequenino e superficial, mas vale pelo que incita a buscar. Então eu fui dar uma lida por aí e encontrei coisas muito interessantes.
Vejam só…
Idade Aparente é aquela que nos atribuem os outros, baseados em nosso aspecto físico. Nessa eu saio perdendo, pois nem botox, nem silicone, nem cirurgias plásticas, nem nada… como diz a Ro, uma amiga de Recife, sou original de fábrica e os 50 anos vividos estão TODOS aqui. Ho ho ho!
Mas olho! Esta idade tem muito a ver com o estado geral das outras idades. É preciso cuidar DELAS TODAS!
Idade Psicológica é a idade auto percebida. É aquela em que uma pessoa se sente localizada. Está relacionada com as próprias atitudes. Corresponde à capacidade de adaptação, às reações e à auto imagem das pessoas. Reflete e experiência subjetiva que cada um tem em relação à sua idade cronológica e estágio de vida.
Uma pessoa pode sentir-se muito mais jovem do que marca realmente sua carteira de identidade. Seu comportamento, forma de vestir e falar, atitude em relação à vida, etc, serão influenciadas por esta idade “sentida”.
Neste caso, eu acho que, sem olhar muito detidamente no espelho, aliás, de olhos fechados eu tenho uns 38 ou 40 anos, por aí. Normal. A maioria das pessoas sente-se mais ou menos 10 anos mais jovem, sem riscos de parecerem idiotas. Muito pelo contrário, sentir-se mais jovem impulsiona as pessoas a viverem mais ativamente. Pena que não me sinta assim todo dia!
Idade Emocional é a que demonstramos pela qualidade das relações que temos com o próximo, pelo grau de amor ou dor que predominam em cada um a partir das experiências de vida. Isso é o que defende o filósofo Guido Mizrahi.
Entendi que esta idade se mede pela qualidade do afeto da pessoa consigo mesma e com o mundo que a cerca.

Ele exemplifica assim: ” Te conto que os bonsai são aqueles sêres que tem toda a aparência de serem grandes, mas permaneceram pequenos porque os jardineiros japoneses descobriram que, se cortavam as raízes das árvores, as árvores não cresciam nem em altura nem em tamanho, permaneciam pequenas. Nos seres humanos as raízes não são nem mais nem menos que os afetos, o que nos agarra à terra, o mais concreto que temos.” 
Essa vou deixar para comentar em outro post. Tenho uns cortes que vêm desde a época do Lorde que só pude cicatrizar depois de experimentar o amor de mãe, alguns anos de terapia, uma puta depressão e… melhor escrever sobre isso outro dia.)
A idade biológica é aquela que se corresponde com nosso estado físico e de saúde. É a idade que o organismo demonstra com base na condição biológica dos seus tecidos comparados com padrões; depende dos processos de maturação biológica e de fatores exógenos.

A idade biológica é o termômetro que mede como está o funcionamento fisiológico de nosso corpo e mente e é a mais importante a ser considerada no processo de envelhecimento.
Pode ser medida utilizando-se os conhecidos marcadores biológicos: composição corporal (relação entre o percentual de gordura do indivíduo e a quantidade de massa magra), pressão arterial, audição, visão, níveis hormonais, densidade óssea, níveis de açúcar e colesterol no sangue, qualidade da pele, imunidade e metabolismo.
Essa também pode estar bastante abaixo da idade cronológica, principalmente no mundo mais desenvolvido. Hoje em dia algumas pessoas com mais de 80 anos são capazes de correr até maratonas. Em compensação, em alguns países da África, uma mulher de 30 anos pode já ser uma anciã.
Agradeço todos os dias pela saúde que desfruto, mas sinto a minha idade no sobrepeso da menopausa e também quando o corpo não responde com a mesma flexibilidade e rapidez de antes.
Estou já matriculada na Yoga, claro! A gente não tem que se entregar, não é misifios!
Bueno… agora só faltam mais duas para completar as sete.
A idade social, que é aquela que se mede pela capacidade de contribuir ao trabalho e ao grupo, mantendo-nos inseridos e valorizados pela sociedade. Esta varia demais, como variam as sociedades pelo mundo a fora.
Em muitos países os idosos são considerados “estorvos”, desprezados e abandonados à solidão. Mas existem sociedades em que as pessoas mais velhas são consideradas mais experientes e sábias e são muito valorizadas.
Ainda estamos longe do valor que tem os anciãos no japão, mas acho que, no ocidente, as pessoas maiores de idade já estão lutando contra esta discriminação e conseguindo algumas vitórias, mantendo-se ativos e participantes na vida da família e do grupo social até o final de suas vidas.
E, para finalizar, a mais oculta e secreta, segundo o filósofo Mizrahi é a idade espiritual.
E ele diz, sabiamente, aos 38 anos cronológicos de vida: “A idade espiritual é uma gradual tomada de consciência a cerca do carater divino que há dentro de cada pessoa. É um despertar. É sair do tempo para conectar com o divino aqui e agora.
É uma idade que se mede pelo grau de consciência de que uma pessoa, como ser humano, está conectado com as fontes espirituais que regem o universo. É tomar consciência de que se é amado e protegido por elas, que é finalmente um servidor dessas fontes espirituais.”

E diz ainda: “Para alcançar este despertar é importantíssimo haver conseguido uma total aceitação das experiências no tempo, quer dizer, não estar em discórdia com o que lhe há sucedido no decorrer da vida – pais, trabalhos, enfermidades, acidentes – e, também, uma sensação de gozo emocional pelo tipo de relações que tenha tido.
A pessoa vai crescendo espiritualmente com as ações concretas que vai desenvolvendo em relação aos outros. Isto quer dizer que a idade espiritual se mede pelo grau de serviço que alguém presta aos demais seres humanos. Os sêres com idade espiritual avançada se ocupam em servir aos demais.
A espiritualidade tem a ver com o amor, com a entrega. Não é nem mais nem menos que o verdadeiro conhecimento de si mesmo e o estar a serviço dos outros.”

Pois sim…tive a sorte de conhecer e relacionar-me com algumas pessoas que têm uma idade avançada nesse sentido, apesar de serem, algumas, mais jovens do que eu. Uma delas foi um dos meus anjos durante a cura de minha depressão. Ela ensinou-me muito e abriu-me um novo horizonte nesta dimensão do meu crescimento pessoal.
Acho que depois disso eu envelheci algumas décadas e foi o melhor que poderia acontecer-me antes de cumprir os 50 anos. Assim, creio que ainda tenho muito tempo para crescer e ajudar outros a crescerem, amar e ser amada, servir, ser útil, ser feliz, fazer feliz aos que me cercam… e gozar cada segundo da vida que me reste.
Muita vida, espero!
Perguntaram a Buda
O que mais o surpreende na Humanidade?
Compenetrado, o sábio respondeu:
Os homens perdem a saúde para juntar dinheiro e depois perdem o dinheiro para recuperarem a saúde. Por pensarem ansiosamente no futuro, esquecem o presente de tal forma que acabam por nem viver no presente nem no futuro. Vivem como se nunca fossem morrer e morrem como se nunca tivessem vivido.

Anúncios
Categorias: Corpo&Alma de Mulher, Pensando Alto | Tags: , | 41 Comentários

Navegação de Posts

41 opiniões sobre “Idades Para Viver…

  1. Nora, eu ainda tenho 37 anos, mas eu me identifico com várias coisas que você descreve no seu post. Eu me sinto bem mais nova, mas eu estou com medo da passagem do tempo, é muito rápido. Também não gosto de algumas mudanças nas minhas feições e é difícil me conformar em ter perdido o rosto e o corpo que eu tinha há poucos anos atrás.

  2. Pois é, Leila. Fácil não é mesmo! Mas creia-me é inevitável. Mesmo com os meios invasivos da medicina estética, chega uma hora que a realidade pode mais que a fantasia.
    Por isso acho que cuidar de TODAS as idades é o caminho para a juventude da alma. Há idosos lindos dentro de suas rugas e corpos envelhecidos. Acho que quero ser ( pelo menos ) um desses, já que não há uma fonte da juventude eterna ( bem que deveria, né?)

  3. Nora: depois de ler teu post me lembrei do nosso último bate-fono-papo sobre o que vivemos por aqui. Já estou de volta e esta semana acho que vai dar pé para te ver… te ligo. besito

  4. Oi Nora,
    Conheci seu blog através do blog de Virginia. Também sou Pernambucana, de Vitória de Santo Antão.
    Tenho 28 anos, não sei se daqui a 10 anos irei me preocupar com a aparência, mas hoje penso muito em melhorar como ser humano, na minha conexão com o divino.
    Um chêro pra você! 🙂

  5. Alguns dizem que sou muito ranzinza e fazem previsões sobre como serei chato quando velho. e meus cabelos brancos já nasceram antes dos 30. acho que minhas idades se misturaram.

  6. Querida Nora,
    Menopausa é um saco, eu que o diga. Nada contra minha idade(60 anos), assumi e assumo, tô feliz e sou querida, graças a Deus. A menopausa chegou aos 52 anos e com ela as “ondas de calor” insuportaveis, especialmente a noite. Fui adepita da reposicao hormonal(até o mes passado). Decidí parar, pois nao me trazia nenhum beneficio. Hoje, tomo muito leite de soja, faço caminhadas e mantenho o bom humor. Ta dando certo e estou até lidando melhor com as “ondas de calor”. “Welcome to the club”. hehehe
    Beijos,
    ME

  7. Envelhecer é difícil mesmo. Mas tenho que dizer que essa é também a melhor fase da minha vida: aposentada, acabou a servidão do trabalho o dia inteiro, a criação dos filhos, o esgotamento dessa vida em que nunca podemos ter um tempinho pra nós, pra pensar, viver, ficar à toa. Há anos já vivo em permanente êxtase (rs). Posso tudo! Ler, ler, escrever, viajar, curtir neto, filhas, viajar o tempo que quiser, uau, é manter a saúde. Estou no terceiro casamento e ele ainda trabalha mas não vai ser isso que vai mudar minha agenda de viagens: Machu Pichu, Amazonia, Espanha. É, com a idade também parei (quase) de ser boba. Bjs
    Marilia

  8. Pois é Marília, eu também estou nos tempos do gozo. Nada de trabalho, ler muito e passear muito, escrever de vez em quando, plantar nas épocas em que é possível. E vou casar ano que vem! Ho ho ho! Também não tenho do que me queixar! Só estou estranhando demais o meu corpo!!!!

  9. Sinto-me muito bem mentalmente (Idade Psicológica?) e biológicamente devo estar bem, afinal, ainda sou capaz de certas proezas físicas, como correr 10 Km sem maiores problemas.
    Os pneus que nasceram na minha cintura são ridículos e acho melhor começar a me afeiçoar a eles, pois não há abdominais que os vença. O peso aumentou, é claro, mas parece estar sob controle.
    O medo masculino é aquela coisa relacionada à ereção, né? Na minha idade – 48 anos -, a coisa vai bem, mas EU sei que não é como era antes e já fico todo preocupado. Acabarei no Viagra, é bóbvio! Largar o jogo nunca!
    Não sei muito sobre a idade que aparento, mas ouso crer que a qualidade de minhas relações é alta.
    Tá bom, Nora. Já sei que vou passar o dia pensando nisto.
    Saudades inevitáveis de ti e do Pepe.

  10. Ainda falta 1/2 século para eu chegar aos 50. Na verdade ainda estou curtindo a fase em que os caras que me conheceram a 3 ou 4 anos atrás me elogiam dizendo que eu estou com feições de mulher…risos.
    Mas me identifico com outras partes do seu texto.
    Acho que aceitar com sabedoria (acho a palavra resignação um pouco pejorativa) a mudança inevitável que os anos trazem é o primeiro passo pra chegar aos 50, 60, 70 bem feliz. E claro que a descoberta ou re-descoberta do amor mais do que ajuda. Pra mim vc está ótima 🙂
    Beijos
    P.S: A Leila explicou direitinho lá no blog como vai funcionar a premiação. Os blogs participantes são os blogs das juradas. Escolhemos os Top 15 Blogueiros Sexy (que eram pra ser 10 mas não deu…rs) e depois divulgaremos os nomes para apreciação!! 😉

  11. Oi Nora,
    obrigada, Chantal é mesmo meu nome 🙂
    Deixa eu te perguntar uma coisa, você sabe de algum site de onde eu possa baixar músicas flamencas gratuitamente?
    Saludos 🙂

  12. Sabedoria pura, coroada pelas palavras de Buda, que iluminam todo o texto. Então vou ganhar uma ótima leitora como você? Que delícia. Me mande o endereço de Recife para onde devo enviar o livro. Tomara que goste, oba oba. Um beijo para as sete ;O)

  13. Oi, Norinha,
    Independente das idades, eu já nos meus 71, a gente sempre passa por bons e maus momentos. Que não são só que os outros veem, mas o que nós sentimos. Independente das idades, reafirmo.
    Dias eu acordo me sentindo ótimo, bonito e valioso. Outros, nem tanto. Alguns, sinto-me horrível. Penso nisso e até acho intrigante e engraçado, revigorante mesmo.
    Quanto às modificações corporais e de rosto, fico feliz em conviver com elas, dia-a dia, pois assim, me adaptando a cada dia, noto menos o que os outros sentem. Rsrsrsrsrs
    E, bola pra frente!
    Beijos
    fernando cals

  14. Socorro

    Leio seus textos há algum tempo e te acho uma criatura encantadora. Você me lembra as ciganas que apareciam na minha terra – um povoadozinho no sertão da Bahia – quando eu era criança. Eram mulheres fortes – em todos os sentidos – e belas com suas imensas tranças e roupas coloridas. Interessante é que na minha memória elas nunca são jovens, são sempre mulheres maduras. Acho que porque essas ciganas foram o meu modelo de mulher, agora que estou chegando aos 50 é que começo a gostar mais de mim. Estou mais próxima do meu ideal de mulher bonita. Mesmo com as rugas e as gordurinhas mal-localizadas.
    E também me sinto uns 10 anos mais jovem. Domingo fui a um show de uma banda da tua terra, a Nação Zumbi – boa demais – com meu filho mais novo, que tem 24 anos. Não dancei como eles porque sou meio dura pra essas coisas, mas curti tanto quanto. Aliás acho que o mangue beat como movimento musical é um bom exemplo disso que estamos falando. Ah! acho que se eu tivesse uns olhos-de-mar ou olhos-de-jabuticaba não tinha espelho-bruxo-mau que me atingisse.
    um abraço

  15. Oh, a gente estranha mesmo o próprio corpo! A perda do tônus muscular, tudo, tudo. Mas…que jeito? E nós ainda temos a menopausa e seus calores repentinos e tenebrosos. Depois de sofrer a vida toda com menstruação. Mulher sofre, a carga nossa é incrível. Por isso somos Maravilhoooosas! 🙂
    Nora, virei freguesa, você vê? Venho pro chá todo dia. Bjos!

  16. Em que medida isso tudo não tem a ver apenas com a menopausa, que está coincidindo, casualmente, em ti, aos 50? bjs

  17. Socorro, que comentário gostoso de ler! Claro que olhos-de-mar-azul ameniza tudo na minha vida. Ele continua me dizendo coisas lindas e nem liga pras gordurinhas, diz ( vê só que bárbaro!) que detesta mulheres magras demais! ho ho ho.
    Cada dia o amo mais!!!!
    Mas, agora sem brincadeira, aqui na Europa a pressão para manter-se jovem e magra como as modelos é muito menor que no Brasil. Os homens namoram mulheres maduras e de verdade, de carne, osso e pneuzinhos, sem problemas!
    Marília, querida, ontem fiz a maior propaganda do teu blog pra uma amiga brasileira que vive em Madrid. Também ganhastes uma amiga aqui para o chá de todo dia!
    Fernando, que saudade! Você é meu ídolo, bárbaro com seus 71!
    Milton, nem vi esses pneuzinhos! você os deixou em casa, foi?
    Leninha, Afonso…a menopausa é que nem adolescência ao contrário, imagina só a desarrumação????
    Dani, nem pense nela ainda…esqueça. ela não esquecerá de você, de qualquer forma!
    Besitos!

  18. Tenho um gravíssimo problema com a minha idade: nunca estamos em sintonia. Passei anos repetindo 23, quando me perguntavam a idade. depois foi a fase do 27, e do 32. Parei ali. Quando alguém me pergunta a idade – ainda hoje – preciso parar para pensar. Sei, por experiência, que não tenho mais 32, mas se não fizer as contas, essa será a resposta. E o pior é que me sinto velho quando penso que tenho 32 anos!

  19. Nora, maravilhoso texto, como é seu hábito. Agora, pense que fazer 50 anos é completar mais um dia de vida, só isso. Sim, eu não sou mulher (uia !) e tenho 38 ainda, mas é como eu costumo encarar o fato de que o tempo passa, e rápido. De resto, pelo que você mesma diz, está tudo indo de vento em popa na sua vida, então reflita e responda (pra você mesma, bóvio) com toda a sinceridade: você gostaria de voltar no tempo, digamos uns 20 anos ?
    Eu me faço a mesma pergunta, às vezes, e a resposta vem imediata, sem o menor traço de hesitação: não, obrigado. Quero cada dia passado na lembrança, mas só isso. Estou muito melhor hoje, obrigado. 😉
    Abraços marroquinos !

  20. Obrigada Nora 🙂

  21. nora sou nova por aqui, mas tenho vindo sempre
    gosto do jeito delicado com q vc lida com as palabras
    post pra fazer pensar como este faz tempo que não vejo
    parabéns pelos 50, pelo post, pelo blog
    cuidate
    tati, sem blog

  22. Tenho 54 anos e serei avô no próximo ano. Estou muito feliz com isto. Na África, com povos marcados pela tradição oral, chamar alguém de jovem pode ser uma ofensa; certamente porque o velho é o depositário do saber, da experiência, do conhecimento.
    Tenho menos cabelos brancos do que muitos amigos com menos idade, em compensação, muitos acham que tenho o ar mais sério do que bode mijando, sendo assim, muitos me acham jovem, muitos me acham velho. Eu me sinto como se tivesse 54 anos, seja lá o que isto signifique.

  23. Quando o espelho insiste em mostrar rugas de expressão e cabelos brancos, eu ajusto o foco para meus olhos e meu sorriso. Lá por dentro sinto que amadureci, mas não azedei. Isso é o que importa, eu acho.
    Beijos, me visita quando der!
    Ana

  24. Bacana, esse negócio de muitas idades ao mesmo tempo. Acho que idade psicológica tem a ver com o “olhar com que vemos o mundo”. Se for um olhar de desejo, estamos jovens. Quem não deseja, morreu!
    PS: vou usar o finalzinho de seu post, a citação de Buda, OK?

  25. Joao Salvador

    Só há muito pouco tempo ouvi falar em “Blogs”. Já visitei alguns mas nunca deixei quaisquer palavras.Nesta visita ao teu BLOG não posso deixar de manifestar o meu agrado pelo que vi e li. Escreve um livro, nada é demais!
    Obrigada.Parabens pela passagem do teu aniversario.Adeus-João-Sem Blog

  26. Nora, levai alguns dias pra ler todo teu post. Muito legal a tua maneira de refletir sobre as coisas. Queria também te agradecer pelo presente que o Milton me trouxe. O simples fato de ter alguém que pensou na gente, é o que dá sabor a essa vida. Obrigado mesmo. Beijos.

  27. Lindo o seu blog.
    voltarei com tempo e calma.
    Obrigado pela visita.
    LMS

  28. Nora. Você morou no Poço da Panela ? Em que tempo ? Eu morava em Casa Forte. Tenho a impressão que lhe conheço.
    Luis.

  29. É muito bom…Só é preciso saber viver e vc bem sabe.
    Um grande beijo

  30. Salve Amiga!
    Perfeito. Gostei da configuração e da poética que há em seu Blog. Gosto e escrevo poesia. Quando puder me acessa da seguinte forma:
    1 – Orquideas Selvagens de BENNY FR@ANKLIN: http://www.spaces.msn.com/members/bennyfranklin
    2 – ATO DE EXPIAÇÃO: http://www.spaces.msn.com/members/atodeexpiacao
    Beijo no seu coração.
    Do amigo Benny Franklin

  31. Sim. Você era a moça por quem fui secretamente apaixonado. Faz tempo. Mais de 20 anos. Eu era aluno de Elijah Von Sohsten. Depois, muitos anos depois, descobri que o seu pai era amigo de meu avô. E sua mãe, amiga da minha. Engraçada a vida, não ? Ai então você encontra uma crônica minha falando da enchente do Recife. Mais de 20 anos depois…
    Nora: você era a moça mais bonita do Recife. E pelo que vejo na foto, As espanholas que se cuidem !
    LMS

  32. Sensacional teu post. Comecei a ler e, apesar do tamanho, tive que ir até o final. Adorei!
    Beijo e bom findi

  33. Oi, Nora!
    Depois de ler seu texto tive muitas idéias… Falo delas mais tarde.
    Olha, eu tenho essas idades para viver também, mas a preocupação com o efeito do tempo na minha carne eu não tenho muito não. Esse corpo a gente veste aqui. O que eu cresço como pessoa é o que me preocupa. Quando você fala em “qualidade do afeto” eu penso nesse mundo que anda tão sem valores, tão sem referências… Concluo que eu gostei mesmo quando você fala da idade espiritual. E de quando você diz que envelhecer algumas décadas foi o melhor que podia te acontecer antes de cumprir os 50. Fechou com chava de ouro!
    Sobre a resposta do sábio, acho que cai como presente a todos que frequentam teu canto. Há muito que se refletir sobre ela.
    Adorei teu post, pra variar.
    Um grande beijo!
    post scriptum: eu estou com coisas pra fazer antes de viajar para as festas de fim de ano, mas escrevo um novo post ainda em 2005. 🙂

  34. Realmente é uma idade interessante, 50 anos, nesse periodo tantos planos são repensados, mas o pior é q nossos olhares se voltam só para a saude, nos censuramos, nos podamos, nos transformamos em eTs, acaso ñ há o direito de um beijo , de um amor, de uma lua de mel?Estamos vivos, e com a grande diferença,temos a experiência da vida, deixamos de ser amadores viventes para nos tornarmos profissionais. Gostei Muito, até me fez refletir, Continue. Feliz Festas

  35. Nora querida,
    Como sempre um lindo post para refletirmos. Certamente os 50 anos são uma passagem. Às vezes dolorosas e muitas vezes deliciosas. O que realmente importa é como você assume essa passagem. Adorei saber do casamento! É isso, minha amiga, curta muito seus dias sem dar importância para a idade. Todas são belas e felizes. Cabe à nós fazê-las assim.
    Beijo carinhoso,

  36. Depois de 35 comentários, não há muito o que acrescentar. Apenas acho que você está muito bem, com a lucidez e a sensibilidade que todo homem admira. Há braços!!

  37. Ella

    Querida, passei para desejar Feliz Natal. Sobre a idade, posso afirmar que ela não dói.

  38. Ola Linda Mariposa! As vezes a net tem essas surpresas agradaveis, a de encontrar um site gostoso, um texto lindo, uma pessoa sensivel, musica e tudo mais. Magico! Comecei a ler seu texto e fui transportada pra dentro da sua pele, como se eu mesma estivesse escrevendo! Amei e virei fan! Obrigada pelas dicas do teclado e Becitos miles in tu!

  39. Querida Nora,
    Vim te desejar um Feliz Natal e um ano novo muito especial, para vc e toda a família.
    Beijão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s