Recuerdos…

Férias…


Lendo Paul Auster em Tarifa. La Invención de la Soledad.

Auster é minuncioso na descrição do pai morto…
Traz-me de volta doídas lembranças.
O Lorde, meu pai, aparece a cada segundo em minha lembrança durante a leitura da primeira parte do livro: O Homem Invisível.
Entre os murmúrios do vento e das ondas que lambem a fina e branca areia tarifenha, gaivotas gritam o nome dele e me transportam para outros ventos, outro mar, outros tempos.

Quanto de compaixão será necessário para entender, ou apenas esquecer, sua estranha e cruel forma de amar?

Anúncios
Categorias: Livros, Pensando Alto | Tags: , | 13 Comentários

Navegação de Posts

13 opiniões sobre “Recuerdos…

  1. Oi,
    Lembro-me de vc ter escrito alguma coisa muito tocante sobre seu pai.
    Tenho saudades do meu.
    Lindo : lambem a fina areia tarifenha…
    Beijão

  2. Que lugar lindo que você está, querida!
    e o casamento?
    Muitos beijos

  3. “estranha e cruel forma de amar”
    tadinha…
    belo post, Nora.
    Bj laura

  4. Querida Nora, saudades de ti… Sempre que leio qualquer livro de Auster (sou tiete, acho que já li quase tudo…) penso que ele tem a incrível capacidade de provocar este tipo de identificaçao que voce descreve. Cada livro nos abre um mundo de “sensaciones y recuerdos”: família, amigos, situações vividas… vai se preparando para aproveitar este despertar para escrever também sobre isso! Me ligue na volta, porfa, tenho planos e propostas interessantes! Beijos

  5. Que post forte!!! Eu nunca lida nada de Paul Auster, mas também sou uma negação para leituras.

  6. Oi Nora, ando tão sumida dos blogs. Sempre gostei muito dos teus escritos, mas quando você fala do Lorde a sensibilidade aflora ainda mais forte. Beijos.

  7. Isso me lembrou duas coisas distantes: o começo de Blade Runner, quando o replicante se enfeza ao ouvir a pergunta “fale-me sobre sua mãe”, e uma terapia de grupo de que participei, quando o psicólogo que a conduzia pediu para as pessoas pensarem nas frases que mais ouviram na infância e em como conversariam a respeito disso com seus pais. Várias pessoas começaram a chorar convulsivamente.

  8. Olá Nora,
    Gostei de saber que tenho uma “vizinha” na blogoesfera. Afinal Portugal é mesmo ao lado!
    Beijinhos e até breve.

  9. A verdade cansou de se esconder.
    A verdade cansou de ser hipócrita.
    A verdade resolveu se revelar agora, sem receios ou pudores.
    Você está preparado para a verdade?

  10. Que coisa. O Milton Ribeiro também recomenda Paul Auster. Mas não consigo me identificar com o autor.
    Querida, espero que esteja tudo bem. Convido você a dar um pulo na Estante e ler sobre um momento maravilhoso da vida da Luciana (e da mãe dela, por extensão).
    Beijos
    Ana

  11. még

    ai norita….que passeio é este, entre tuas palavras e teus sentimentos????reconheço-te em cada letra teclada, e a saudade me invade fazendo arrombos em meu estomago….Querida…como é bom ter voce em nossas vidas, me trazendo um pouco desse tempero rico de afeto,aconchego e sensibilidade, fazendo brisas gostosas de uma tarde de verão em meu coração…
    beijos

  12. Belo livro. Gostei muito e lembreva de meu pai a cada segundo. Beijo.

  13. Nora,
    Tá sumida???
    Tô com saudades.
    Faça-me uma visitinha.
    Bjos,
    ME

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s