Curtinhas

A Mãe de Thomas Edison.

Certo dia, Thomas Edison chegou em casa com um bilhete para sua mãe.
Ele disse, “meu professor me deu este papel para entregar apenas a você .”
Os olhos da mãe lacrimejavam ao ler a carta e resolveu ler em voz alta para seu filho: “Seu filho é um gênio. Esta escola é muito pequena para ele e não tem suficiente professores ao seu nível para treiná-lo. Por favor, ensine-o você mesmo!!”
madresDepois de muitos anos, Edison veio a se tornar um dos maiores inventores do século.
Após o falecimento de sua mãe, resolveu arrumar a casa quando viu um papel dobrado no canto de uma gaveta.Ele pegou e abriu. Para sua surpresa era a antiga carta que seu professor havia mandado a sua mãe porém o conteúdo era outro que sua mãe leu anos atrás.
“Seu filho é confuso e tem problemas mentais.Não vamos deixá-lo vir mais à escola!!”
Edison chorou durante horas e então escreveu em seu diário:”Thomas Edison era uma criança confusa mas graças a uma mãe heroína e dedicada, tornou-se o génio do século.”
Existem certos momentos da vida onde é necessário mudar o “conteúdo da carta” para que o objetivo seja alcançado…

Li e amei. Uma  mãe especial para um filho especial. Que sorte ele teve! Porque tem gente ministrando Ritalina aos futuros gênios.

Quem sabe alguém está precisando ler algo assim…

……………………………………….

Anúncios
Categorias: Curtinhas | 1 Comentário

Casa Arrumada.

casa_arrumada

Eu conhecia esse texto mas já tinha esquecido. Adorei lembrar lá no Feissy porque minha casa tem uma vida linda. Troco coisas de lugar, quadros de parede, cheiros, mantas, tapetes…

Gosto de usar tudo o que tenho. Não guardo nada para um dia especial. Aqui todo dia é dia de festa, basta a gente decretar. Também decretamos se tem cama feita ou roupa passada. Café da manhã com Bach ou com Arvo Part. Tinto de verano em pleno inverno… janelas abertas e muita luz. A casa gosta dessa informalidade e respira bem.

 

Categorias: Curtinhas, Poesia & BelosTextos | Deixe um comentário

Por causa de Lucia…

Pois é…

Um dia abri meu Facebook e encontrei uma cartinha assim:

“Olá Nora, Desculpe-me por estar neste seu espaço.

Há tempos atrás lia de vez em quando suas mensagens no blog língua de mariposa. Gostava de sua partilha que me parecia uma pintura com os detalhes que davam vida a narrativa que fazia. Fiquei um bom tempo depois sem entrar nele, mas ficou arquivado no meu FAVORITOS junto com outros assuntos que julgo interessantes. Hoje, me veio a vontade de entrar lá e ver qual novidade Nora estaria partilhando após um bom tempo e me surpreendi com o seu anúncio do final do blog já ocorrido desde o ano passado. Gostei da imagem da passagem – o Bardo de seu blog – “virar poeira de estrelas”. Enfim, quero deixar registrado que gostei de ter navegado em seu blog (e o seu foi o primeiro blog que acessei por indicação de uma amiga – normalmente não tinha interesse em blogs), em sua inteireza nas partilhas e até nos silêncios. Te desejo Paz e todo o Bem.

Com carinho Lucia ”

Gostei muito e guardei. Tentei apenas agradecer e seguir meu caminho… mas não pude. Acho que vou voltar a escrever. Não sei se manterei o nome do blog… talvez ele escolha outro. Algo se partiu nas muitas vezes que teve que ressussitar. Sigo feliz, Lucia. Isso é o melhor de tudo.

Obrigada pelo carinho.

Categorias: Curtinhas, Mundo Virtual | Tags: | Deixe um comentário

Olá…

Bem vindos! Esta é a nova casa do Língua de Mariposa.

 

Categorias: Curtinhas | 6 Comentários

Tempos de mudanças…

Mudanças, internas ou externas, me calam.
Estive por um tempo fora do ar, mas isso não significa que estivesse sem assunto. Escrevi na mente muitos posts que nunca transformei em escritos de verdade. Escrevi outros que achei decepcionantes por não conseguirem expressar realmente o que eu sentia. Foi só isso.
Assim… mais uma vez o silêncio instalou-se neste espaço. Entretanto ele é tão amigo, tão querido, que me espera pacientemente. E vocês também. Isso me consola e me permite os excessos.
Pois é…
As mudanças estão em pleno avoroço.
Organizados os armários na casa nova de Madrid, parti para organizar a mim mesma. Reescrevi no caderno azul as metas que queria alcançar. Expressei desejos e procurei soluções para derrubar as barreiras que me impediam de realizá-los…
Encontrei uma médica que descobriu meus problemas de excesso de peso, emagreci, aprendi a nadar, estive mais perto da minha filha e dos amigos, desviei-me dos eventos gastronômicos sempre que pude, li mais, escutei mais música, cozinhei mais, caminhei pelas ruas de Madrid, vi exposições maravilhosas, conheci recantos especiais da cidade, fiz algumas viagens, curtas mas deliciosas.
E escrevi menos… quase nada.
Claro que esse último detalhe não estava nos pedidos, mas foi uma consequência deles. Estive mais fora do que dentro do computador. Quase nunca visitava os blogues alheios.
Também descobri que não gostava do clima do escritório que criei em casa. Não gostava do abafado, da pouca luz, dos cheiros…
Bem em frente à única janela da saleta, estava a cozinha da vizinha, com seus ruídos e perfumes de cortiço do século XIX. E bem embaixo da minha mesa, o banheiro da gata…nhém!
Então… Rá, ré, ri, ro, RUA!
Sabem de uma coisa, peçam tudo que desejarem, já disse. É impressionante como os desejos expressos se realizam. Mas muito cuidado com o que pedem,  justamente por que se realizam. Também já disse isso… Ho, ho ho!
Muitas vezes adorei cada rincão novo que conheci de Madrid e muitas vezes agradeci ao Deus que me ama pela oportunidade incrível que estava tendo na vida… mas eu queria mais. Pedi, quase inconscientemente, uma cidade linda como ela, com mar.
Até escrevi aqui, sem pensar, quando visitei Vigo. Sem pensar?
Tóin! A fada madrinha atenta, só anotando tudo.
Queria brisa marítima, tóin! ela anotando.
Queria poder despertar com uma linda vista do outro lado da janela. Tóin, que fada!
Setembro, mês de aniversário. Presente surpresa: Acabo de me mudar para Barcelona.

Rá! re , ri, ro, RUA!

Categorias: Curtinhas | Tags: , , | 21 Comentários

Curtinhas…

Os blogs andam a seu ritmo. Todo mundo que tem um já sabe. Mas o meu, de vez em quando, flutua no éter do abandono. Eu acho que é um mal sinal.
Não é que tenha mais coisas a fazer, é que faço o que tenho que fazer muito devagar… e o pior é que descontinuamente.
Começo e paro… e volto… e vou. Minhas tarefas se entrelaçam durante o dia. É um esforço terminá-las.
Descubro toalha de prato na estante da sala, a tesoura da cozinha dentro do guarda roupa, minha mesa de cabeceira com tudo que deveria estar no banheiro… e olho pra ela e deixo assim mesmo…
Muitas vezes me assisto parada, fazendo nada…
Meda!
***************************************
Minha amiga linda, a Virgínia, do Além do Atlântico, está passando um prova difícil hoje e amanhã.
Estou aqui, COM TODO MEU CORAÇÃO em sintonia, querida!
***************************************
O verão é gostoso porque a gente tira de cima dos ombros o peso das roupas do inverno, veste coisinhas frescas e sandálias bonitas… mas precisava fazer TANTO CALOR?!
***************************************
Madrid dá de presente a música do Teatro Real. Grátis, na praça bem em frente ao Palácio Real, todos os dias, ao anoitecer.
Aqui anoitece às 22:00hs. Tóin!
***************************************
Fui ver a exposição de Joaquim Sorolla, no Museo del Prado. Imperdível. Um conjunto de pinturas que dificilmente poderão ser vistos juntos em outra oportunidade. Quadros de coleções particulares, painéis vindos de Nova York. Belíssimos! Espetaculares! Vou escrever um post.
Babei!
*************************************
Agora está na moda as curtinhas, é?

Categorias: Curtinhas | Tags: , | 18 Comentários

A Ria de Vigo…um colírio!


Às vezes a semana nos dá de presente uma vista assim.
Quem dera fosse mais frequente.
O casamento de um amigo nos levou à Galícia.
O ganho extra foi aproveitar, por dois dias, o verde perfumado dos montes, as rias que se podem ver desde a estrada como se fossem dedos marítimos que penetram a terra galega levando os frutos do mar até a porta dos habitantes.
Além do mais, poder provar a comida saborosa e escutar o sotaque gostoso dos galegos.
A gente volta renovada… pena que é tão longe e não se possa ir sempre e sempre!
Eu adoro Madrid… mas sinto uma falta do mar!

Categorias: Cicatrizes da Mirada, Curtinhas | Tags: , , | 4 Comentários

A Idéia…


Papéis, envelopes e canetas sempre foram uma paixão!

Categorias: Curtinhas, Mundo Virtual | Tags: | 24 Comentários

Meu Irmão Sol… E por falar em sereias e baleias.( Ele sempre me ajuda a pensar!)

Meu irmão tem um blog. Chama-se Pirata da Rua.
Apesar de ser um blogueiro inconstante, escrevendo só de vez em quando, pese os pedidos insistentes de seus leitores para que atualize a página com mais frequência, adoro seus posts.
Sérgio tem sensibilidade e inteligência agudas. E uma memória impressionante. Desde criança adorava os livros, as enciclopédias, as revistas, os gibis…tudo que tivesse letras. De poesia à ficção científica comia os livros como um cupim.
O que mais me causava admiração era a sua capacidade para repetir frases inteiras do que tinha lido. Para ser muito honesta, eu morria de inveja!
Seu senso de humor também é invejável. Sabe uma quantidade tal de piadas que a gente pode passar a noite inteira escutando e rindo. Minhas melhores noitadas com ele me deixavam com a cara doendo de tanto rir. E poucos sabem dizer um palavrão como ele.
Pode dizer os nomes mais “escabrosos” enquanto conta uma história e absolutamente ninguém sente desconforto. Das tias-museus aos sobrinhos adolescentes, todos riem.
Ele sempre soube levar sua vida de uma forma positiva, otimista, bem humorada. Mesmo nos momentos difíceis, dava um jeitinho de fazer uma graça.
Mas agora Sérgio está triste. Cabisbaixo e decepcionado com o Brasil e o tsunami de lama que invade todas as casas do país. Desesperançado, angustiado e muito, muito triste!
Acho que está precisando de nossa companhia.
Ele escreveu um post muito bom esta semana. Não deixem de conferir.
………………………………..
Aproveitei-me da intimidade e roubei um texto que ele publicou há meses atrás. Porque a semana passada li vários posts sobre mulheres, homens, idéias e preconceitos entre os sexos. Pretendo escrever um pouco sobre isso a seguir.
Mas vou começar com esse aí, que eu achei Ó-TE-MO!
Para As Gordinhas…
Uma amiga, sabendo que admiro curvas femininas generosas, mandou este texto que achei engraçadinho. Não sei quem é a autora, nem ela, mas vou publicar mesmo assim.
Estou em período de seca. Um dia isso passa.
“Ontem vi um outdoor da Runner, com a foto de uma moça escultural de biquíni e a frase:
– Neste verão, qual você quer ser? Sereia ou Baleia?
– Respondo:
Baleias sempre estão cercadas de amigos. Baleias têm vida sexual ativa, engravidam e têm filhotinhos fofos.
Baleias amamentam. Baleias nadam por aí,cortando os mares e conhecendo lugares legais como as banquisas de gelo da Antártida e os recifes de coral da Polinésia.
Baleias têm amigos golfinhos. Baleias comem camarão toda hora. Baleias esguicham água e brincam muito. Baleias cantam muito bem e têm até CDs gravados.
Baleias são enormes, tem lindos rabos e quase não têm predadores naturais. Baleias são bem resolvidas, lindas e amadas.
Sereias não existem.
Se existissem viveriam em terrível crise existencial: sou um peixe ou um ser humano?
Raramente fariam sexo, pois matam os homens que se encantam com sua beleza.
São lindas, mas tristes e sempre solitárias…
Runner, querida, apesar das camadinhas de gordura, prefiro ser baleia!
Acho que é melhor uma baleia na cama que uma sereia nas páginas da Playboy.”

Ahahahha… Não sei vocês, mas eu concordo com a moça.

Categorias: Curtinhas, Mundo Virtual, Outro Fala Por Mim | Tags: , | 15 Comentários

Viver … e Contar.

Não sei como agradecer os comentários deixados no post anterior. Acho que dizer obrigada é pouco.
Pensei que falar das Cicatrizes e como elas se produziram, além de gerar um bom assunto para conversar no blog, ajudaria algumas pessoas a identificarem sintomas seus, passados ou presentes.
Em vez de escrever sobre depressão usando um texto técnico, poético ou subjetivo, escolhi contar uma história. Esse é meu ponto forte.
Gostaria de saber fazer diferente e escrever como alguns blogueiros que eu visito e que admiro pela classe e estilo, mas não sei. Eu sei contar histórias.
Enquanto pensava em como expressar em palavras o que havia vivido, li alguns textos fortes sobre o mesmo assunto em outros blogs que me ajudaram muito. Excelentes posts, como o poema que li na Helô ou como o texto da Adelaide Amorim, que gentilmente concordou em que eu o utilizasse como ponto de apoio.
Cada um usa suas ferramentas. Eu usei as minhas.
Fácil não foi. Mas o difícil existe para ser superado.

Desvelar-me não constitui um problema para mim. Não mais.
Exige um tanto de coragem, é verdade. Mas esta eu herdei da Princesa, como disse num dos posts anteriores. E tenho meus filtros… nem tudo está escrito aqui.
Eu sei que a exposição pode, às vezes, trazer consequências desagradáveis. Entretanto, tive a sorte de que a esmagadora maioria dos que estiveram nesta página durante estes dois anos e pouco ( tanto os que deixaram seus comentários quanto os que calaram suas opiniões ) terem sido, no mínimo, educadas e maduras. Algumas delas já considero amigos, tal a atenção e afeto que expressam e que eu retribuo.
Também recebi inúmeros e-mails durante todo esse tempo. Alguns sentiram-se como se estivéssemos juntos, conversando no sofá da sala ou confortavelmente instalados na mesa da cozinha, tomando um café na caneca azul, esperando os biscoitos perfumados saírem do forno. E contaram-me também suas histórias.
Sobre o curto-cicuito, escreveram-me pedindo que continuasse o assunto, pois precisavam saber como sair de suas penumbras.
O mesmo aconteceu antes, com a minha história de amor em capítulos, que muitos acompanharam cheios de esperança renovada de que era possível sonhar e viver um amor de verdade, outros porque se divertiam, viam poesia ou simplesmente gostavam de minha forma de escrever.
Creio que o tema central do Língua de Mariposa é esse: cumplicidade de sentimentos. Sejam eles dolorosos, nostálgicos ou bem humorados.
Tento comparti-los com honestidade, transparência e boa vontade.
Escrever é meu vício.
“Viver Para Contar”, diz García Marquez.
“Confesso que Vivi”, disse Neruda
Não sou escritora, nem poeta… mas vivo.
E confesso que gosto de contar.
Com toda intensidade.

Categorias: Cicatrizes da Alma, Curtinhas | Tags: , , | 14 Comentários

Estou bem… É Primavera!

Não se preocupem comigo. Eu continuo feliz.
O que aconteceu é que eu estava tentando escrever sobre dores passadas e comecei com o post Curto-Circuito…
Não consegui dar seguimento.
Não pensava que olhar para dores perdidas no tempo podia assustar-me ainda e tanto.
Descobri que pode! E muito! Talvez eu demore a tocar nelas…
Não tenho pressa.
Por isso pedi a ajuda de F. Pessoa. O texto dele pede um adiamento do agora mas também diz muito dos sentimentos que eu tinha quando a minha chama apagou e a alma perdeu-se na penumbra…
Era no amanhã que eu pensava, porque o hoje era insuportável.
Obrigada pela companhia e pelo carinho dos comentários.
Aproveitando os belos dias de primavera, fui à Segóvia lamber a cria. Fui dar e receber dengos.
Tão bom!

Categorias: Cicatrizes da Alma, Curtinhas | Tags: , | 7 Comentários

Praia de Porto…


Depois de mais de 20 dias no Brasil, ando com sí­ndrome de abstinência.
Me faltam os dengos, os cheiros, as cores…
Estarei postando em breve, meus amigos.
Por enquanto deixo a bela imagem da pequena ilha da Praia do Porto, pertinho de Tamandaré, em Pernambuco.

Um grande beijo para todos!

Categorias: Curtinhas | Tags: | Deixe um comentário

Leão do Norte…

“Eu sou mameluco, sou de Casa Forte… sou de Pernambuco, eu sou Leão do Norte.”
Agora já canto Lenine a cada segundo do dia…
Faltam apenas 5 horas para voar ao Brasil…
Estou numa ânsia que só vendo! Depois de dois anos vou rever meu passado, minha gente, meu mar!
Espero que possa, alguma vez, postar de lá.
Deixei dois antigos posts republicados, só para que não desapareçam daqui. O curioso é que escolhi duas cartas… cada uma escrita num tempo distinto.Talvez nelas alguns de vocês encontrem um presente de Natal!

 

Desejo a todos um Feliz Natal!
Muitos beijos!!!!

Categorias: Curtinhas | Tags: | Deixe um comentário