Posts Marcados Com: dieta

Ai…Ai…

Ando tão cansada da luta constante contra esse trocinho infeliz que marca o peso das pobres pessoas! Se é tão simples ser feliz com um pedaço razoável de queijo curado, um bom vinho tinto e um pão chapata quentinho!
E aquele sujeito franzino me manda substituir a felicidade por abacaxi e espargos?!

E eu ainda pago para tomar umas pílulas coloridas de fibra ( natural?) que me deixam entupida, ansiosa e triste?!

Quem mandou dar tanto poder a um desconhecido magrelo, branquelo, com menos de trinta anos e, arrisco inclusive a dizer,  com pouquíssima experiência de perdas e ganhos, para que acione o maldito equipamento que detecta qualquer deslize feliz cometido durante uma mísera semana!!
gordinha test
Eu preciso acreditar que é só por um tempo… que é só até poder vestir um maiô e não ter vontade de entrar embaixo da cama e ficar ali até o verão passar.

Amanhã tem branquelo e balança… tóin!

**************************************
Soube um dia destes que as calorias são uns bichinhos transparentes que vivem dentro dos armários e, durante a noite, apertam as roupas das pessoas. Rá!
Estou deixando a roupa fora do armário por um tempo… por se acaso!

**************************************

Categorias: Corpo&Alma de Mulher | Tags: , , | 8 Comentários

Pense, Antes de Aceitar…

Uma pergunta básica: alguém pode me dizer o que se pode fazer contra um profissional de saúde que age como um inconsequente, incompetente e fdp interesseiro que aproveita-se da fragilidade momentânea de um cliente, justamente quando a sua auto-estima está cambaleando, nocauteada pelo peso que a balança acusou na última vez que subiu nela( três minutos antes de sentar diante da sua mesa ) e se diverte propondo experiências dignas de filme de terror?


Será que a gente pode denunciar uma criatura que, por trás de um título profissional que deveria significar credibilidade, conhecimento de causa, competência e outras coisas lindas que se poderia dizer de um bom profissional, aproveita-se que seu ego está achatado na sola do pé e os neurônios estão em greve até que você FAÇA ALGUMA COISA para voltar a ser quem você sempre foi e ela, por pura preguiça ou por interesses comerciais ou mesmo por um total desconhecimento do que é uma alimentação saudável, te propõe uma dieta de farmácia, pontuada com idéias absurdas como, por exemplo, começar o dia, todos os dias de sua BELA embora GORDA vida bebendo água morna com gotinhas de limão para desintoxicar o organismo?

E quanto será que os laboratórios pagam a ela para que receite como café-da-manhã um vitaminado com proteínas?
O que é isso? Isso.
Uma gororoba farmacêutica que dizem ter todos os nutrientes que você precisa para viver feliz e magra.
SÓ isso.
Continuando…
Aí ela disfarça recomendando também uma bela maçã para o lanche ( que você desconfia, claro. Já imaginando aquela bela e brilhante maçã de nossa infância- a envenenada ), frango na chapa com salada – por almoço, peixe na chapa com salada – por jantar e outro shake com proteínas antes de dormir
Quantos dias mesmo? Um? Dez? Trinta?
Mas do que isso não vai poder ser, porque você já estará dentro de uma camisa de força tomando injeções calmantes na veia. Ou quem sabe lhe receitem uma lobotomia para evitar para sempre os arrobos agressivos que vão ser despertados no seu belo corpinho magro e doente, trêmulo e entojado pela aguinha morna e vomitiva de todas as manhãs!
Isso se seu corpo reagir com vida, porque pode acontecer justo o contrário e você cair num buraco frio e silencioso – a depressão – e neste caso ela receitaria um prozac duas vezes ao dia.
Tá louca ela????
Bom, não vou nem seguir citando as abobrinhas ( não, abobrinhas não! Seria muito natureba) que a senhora prescreveu para uma amiga virtual, a Mirella, como uma dieta sana para perder peso. Além de uma academia e um personal trainer, evidente. ( Estou só juntando os ingredientes da receita para fazer os cálculos financeiros depois.) Foi o que ela passou. Nem uma vírgula a mais. Ou a menos!
Mas vejam só, quando algum de nós procura uma nutricionista para fazer um regime está supondo que a criatura vai cuidar da gente e ajudar-nos a emagrecer com saúde, não é?
Pois não. Não é.
Pelo menos não todos. Muitos só querem ganhar dinheiro. Fazem acordos com os grandes laboratórios e farmácias especializadas para receitarem as tais pílulas e preparados alimentícios. Cobram o olhinho chorão da sua cara e te deixam na porta da rua da amargura.
São apenas dois os caminhos mas a porta é uma só.
O primeiro deles por ter conseguido ficar histérica, se realmente se manteve na linha mal escrita da “doutora”, ter tentado não vomitar todos os dias as gotinhas de limão na água morna – urgh! será uma preparação psicológica para a anorexia nervosa? – ter jogado o frango meio comido pela janela, espalhado o shake asqueroso pelo teto da cozinha, dançando e cantanto aos brados a antiquíssima música das Frenéticas – ” eu sei que eu sou, bonita e gostosaaaaa / e sei que você, me olha e me qué-eer/ sou uma fera de pele maciiiaá/ cuidado garoto eu sou perigooosaaá/ eyah!!!!” antes de desmaiar por pura inanição. E raiva.
Ou então o segundo caminho, não menos trágico, apesar de que por ele talvez você tenha conseguido salvar-se da loucura às custas da morte de sua já comprometida auto-estima, que a esta altura atende pelo nome de baixa-estima, ou até pela alcunha de ódio-por-si-mesma ao ter descumprido TODAS as regras impostas pela Messalina( não gosto de palavrão) comendo ou melhor, atolando dentro da boca um bom pacote de biscoitos de chocolate recheado de merengue que estava escondido dentro da despensa, e finalmente enchendo a alma de angústia, que neste momento pesa muito mais do que os míseros 21 gramos que dizem desaparecer de nosso corpo morto, magro ou gordo!
Devem ser os quilos de angústia transformada em raiva que ficam lá dentro, sem poder sair! Eu penso.
Raiva também por não ter tido a força e o valor de subir na cadeira da sala de consulta da nutricionista e feito um discurso sobre ética e competência profissional, sobre o respeito pelo cliente, sua saúde e seu dinheiro, sua auto-estima ( mesmo achatada ela ainda existia) e sua necessidade de ajuda, sua inteligência e bom senso ( apesar de obscurecidos pela greve dos neurônios isso não quer dizer que não os tenha ).
Por não ter dito em alto e bom som que ela não entende NADA SOBRE NUTRIÇÃO se precisa prescrever pílulas de vitamina e shakes de proteína porque não sabe encontrar esses nutrientes numa COMIDA NORMAL E CORRENTE.

(Pausa ofegante)
Por que não fazemos isso?
Não fazemos porque além de já estar “na chón” com os resultados da subida na peste da balança e seus megalomaníacos números, a GRANDE PROFISSIONAL ainda olha para gente com cara de “vamos ver se você é fodona mesmo e quer voltar a ser uma mulher!”
E isso é um golpe muito baixo! Ela pisa no nosso orgulho. (Aquele que a gente quer recuperar.)
A resposta à pergunta do início do post é que legalmente não podemos fazer nada contra a criatura. É moderno trocar saúde por pílulas e gororobas artificiais. É legalmente permitido.
Então…
Resta jogar uma praga. Muitas pragas, para ver se pelo menos uma pega.Eu acredito em praga!
Quero que ela sofra na pele o que faz com os outros. Quero que ela precise de conselhos médicos saudáveis e encontre algum incompetente igualzinho a ela que se “livre do problema” receitando apenas remédios. Quero que a distratem, abusem de sua necessidade e do seu bolso. Quero que ela vire uma lesma gordinha e pegajosa arrastando o ego e a auto-estima pelo chão e ninguém dê nem tchum para ela…
Ufff… desabafei!

Ui, fiquei com pena agora! ( Quando a gente deixa o lado mal sair ele cresce em veneno, não é? Já estava aquí empolgada com minhas pragas!)
Melhor, quero que ela descubra sua incompetência e morra de vergonha de si mesma.
Agora vou ali tomar uma sopinha de verduras. Não que pretenda ser magra como as mulheres das revistas de modas, mas quero estar bem cuidada e bonita. A gordura é um poço sem fundo. A gente vai deixando e ela vai crescendo, crescendo. Quero ser de novo G. Cansei de ser EX! Mas tenho que cuidar de mim sozinha mesmo. Já desisti de encontrar um médico como aquele meu anjo brasileiro! Como me faz falta o danado! Ainda bem que uma amiga me mandou um manual de nutrição. Nada contra as vitaminas, mas elas entram como acessório e não como prato principal. E olhe lá, só se você quiser.
Come-se de tudo um pouco e a felicidade é um fator importante para ser levado em conta. Um bom copo de vinho tinto é considerado mais do que saudável, sabiam?
E pode pipoca. E pode sorvete ( de vez em quando) Ho ho ho!
Pois é… melhor ler antes de aceitar qualquer orientação profissional vinda de desconhecidos.
Eu heim!
Pisit ! Minha amiga Iracema, isso não é para você, viu!? Mas que tem um bocado de gente fazendo filme de terror com as gordinhas, ah tem!

Categorias: Corpo&Alma de Mulher | Tags: , , | 35 Comentários

Minha Amiga Querida…

Sei que faz um tempo que não te escrevo uma carta como Deus manda. Sem perdão. Uma das coisas mais agradáveis nesse exí­lio voluntário é receber uma carta de amigo, parente, aderente, vizinho do aderente, periquito, papagaio, orangotango, quem seja.
Desculpe o toque animal. Não tinha a intenção de comparar-te com qualquer um desses bichinhos, embora eu não ache que seja nenhum insulto, uns bichinhos que são tão simpáticos. Meu humor anda assim mesmo, meio tumultuado ultimamente. Alterações hormonais. Coisas da idade, parece.
Mas falando sério, querida…se a carta for tua então, o prazer é dobrado. Antes de fazer um café e montar na rede do terraço, com a música posta no salão, não abro o envelope. Adoro o ritual de abrir uma carta de verdade, de papel e selo colorido, como antes de toda essa facilidade da Internet.
Não me queixo. Imagino que se eu tivesse que esperar pelas antigas formas de escrever, estaria exilada de verdade. Os e-mails são imediatos. Trazem fotos, mensagens de amor e de bons fluidos, recortes de jornais e revistas, carinhos diversos todos os dias, de gente amiga-conhecida e de desconhecidos-amigos. O blog me ajudou muito a encontrar essas almas carinhosas espalhadas pelos labirintos da Web.
Mas tua carta, amiga, essa é felicidade simples e profunda. Posso imaginar onde e como a escreveste. Posso vê-la com a caneca de café fumegante sobre a mesa da cozinha, procurando uma caneta que escreva e xingando a última geração de teus próprios filhos em resmungos ininteligí­veis aos que não te conhecem, pedindo a Deus explicações para o desaparecimento dos objetos inanimados desta casa: canetas e lápis, pentes, prendedores de cabelo e o tapete do banheiro.
Nunca há respostas para isso, não é mesmo querida? Nem Deus, nem os três adolescentes-quase-adultos que habitam o teu lar sabem responder.
Bueno… já está. Algo encontraste para escrever, pois posso ler aqui troços em lápis e outros em canetas de distintas cores. Não sabes a ternura que transborda de meu sorriso enquanto leio o que me escreves e como eu gostaria de compartir a bela e deliciosa caneca azul com o café que só tu sabes fazer.
Pois não penses que isso é brincadeirinha de novo. Pois não. O café sai ao gosto de quem o faz. Posso pôr a mesma medida de água e de pó. Não sai igual ao teu. Juro!
E veja que ultimamente tenho carregado um pouco no café. Um dos poucos prazeres da cozinha que me restam. Tive a infeliz idéia de visitar uma endocrinologista para uns exames hormonais e etc. E a danada me pegou pelo tornozelo. Resultado: dieta.
Como tal um bebê. Seis refeições que de refeições só tem o nome. Um periquito pediria dose dupla do que como. Cada porção pesada e medida numa balança que vive sobre o micro ondas, malvada e sensí­vel como uma madrasta de conto infantil. Qualquer pedacinho de pão pesa mais do que deveria.
E o pior é o que posso beber. Leite desnatado, água, café e chá.
Também, quem mandou procurar uma endocrinologista abstêmia!?
Só vendo a cara que ela fez quando descrevi minhas noites de vinho tinto frente a lareira… Parecia que eu tomava heroí­na na veia! Acho que a bruxa teve uma invejazinha, ou não?
Imaginas a arredondada aqui tomando vinho tinto diante da lareira e dançando ao som da voz memorável de Billi Holliday, com um par de “olhos-de-mar-azul” acompanhando cada movimento meu? Rá!
Acho que ela pensou que era alucinação minha.
Não era. Não era!
Agora posso comer um iogurte com gosto de qualquer coisa (menos de vinho) e ir dormir com cara de mulher-de-meia-idade-triste. Difí­cil viu amiga. Difí­cil.
Mas, segundo os exames, vou ter que submeter-me à tortura.
Usei uma estratégia antiga, dos tempos da depressão. Naquela época colei na geladeira uma foto minha com largo sorriso, só para lembrar que eu já havia sido feliz, um dia. E estava magra.
Agora fiz o mesmo. Preguei a última foto tirada no Brasil de biquí­ni. Para lembrar-me de como não quero estar, daqui por diante.
O pior é que nesta foto estou sorrindo feliz como nunca havia sido na vida… e me confundo.
Preciso ser magra e feliz. E parece que as duas coisas não se casam no mesmo corpo.
Bueno… vamos ver quanto eu consigo conciliar das duas necessidades.
Por enquanto estou lutando para manter a classe e não comer uma lata inteira de sorvete. Que pobre de espí­rito heim?!
Também estou tentando não ter mais os sonhos eróticos com morangos e chocolates, que me acossam nas noites famintas e me deixam cansada e com o humor de Garfield pela manhã.
E por falar em manhãs, as de agora estão lindí­ssimas. O clima mudou completamente e as amendoeiras, que nem estão de regime nem nada, se cobrem de flores numa alegria que só vendo.
Aqui a gente dormiu inverno e acordou primavera. Quem dera meu programa de dieta permitisse o mesmo.
A bruxa disse que eu vou ter dificuldades para perder peso agora. Coisas da idade, parece.
Sabe que até passou o nozinho de tristeza que levo no peito desde uns dias? Acho que escrever-te ajudou-me a melhorar o astral. Prometo escrever mais vezes.
Beijo-te com toda a saudade e amor. Como sempre.

Categorias: Coisas de Amor, Corpo&Alma de Mulher | Tags: , , , | 1 Comentário