Conversê de Janela

Santo Antonio

092.0378Pois é…. Santo Antônio é um santo simpático, né? Eu gosto dele!
Em Pernambuco as “simpatias” para conversar com ele são muitas, mas eu só me lembro de uma, porque essa foi divertida e assustadora.
Eu tinha um noivo de aliança e tudo, e queria saber se ia casar com ele. Aliás, eu tinha certeza que ia casar com ele, só queria que o Santo confirmasse.
Então… Na noite do dia 12 de junho, eu e uma amiga de infância, amiga daquelas que a gente conta tuuuuudo, saímos do quarto à meia noite, cada uma com uma faca virgem na mão, pelo quintal da casa do Poço. Imaginem.
Só faltava a música de terror!
Pois… Segundo as simpatias pernambucanas tínhamos que meter as facas no tronco de uma bananeira e deixar toda a noite. Uma reza pro Santo e pronto!
Oráculo de primeira !
No dia seguinte, a minha faca traria impressa em sua folha metálica a letra inicial do nome do sujeito que ia casar comigo. Fácil e seguro!
Pois sim… Depois do café corremos para o quintal. A dela eu nem lembro o que saiu. Fiquei horrorizada assim que tirei a minha. Lá estava um J perfeitamente bem desenhado. Como assim? Cooooomo assim?
Meu noivo tinha DOIS nomes . Nenhum começado por Jota!
Comoo assiim????
Pois guardamos silêncio , as duas. Nem ela casaria com seu namorado, nem eu. Mas a gente não queria acreditar . Ponto.
Se ficasemos em silêncio podia ser que enganássemos o Santo.
…….
Ainda fiquei com esse noivo anos e anos… Mas não casei com ele.
Casei duas vezes na vida. As duas vezes o nome do noivo começava por Jota.
😱😱😱😱
E eu só lembrei da “simpatia” um dia desses, quando falei sobre a amiga querida.

Anúncios
Categorias: Conversê de Janela, Memórias e Saudades | Tags: | 2 Comentários

Em obras…


Eu tenho blog desde Maio de 2003.

Comecei em outros endereços e com outros nomes: Impressões, Como Shirley Valentine, Cicatrizes da Mirada e, finalmente, o Língua de Mariposa.

Esse vingou como um representante de todos os outros e permanece há cinco anos , apesar das longas desaparecidas.
Agora estou prestes a mudar outra vez…

Categorias: Conversê de Janela, Mundo Virtual | Tags: | 15 Comentários

Nada é perfeito…

É preciso transportar-se a uma antiga história para entender o que passa aqui nesta página.

– Existem caçadores em teu planeta?
– Não.
– E galinhas?
– Também não.
– Nada é perfeito.
….
A raposa aqui animou-se toda quando soube que teria conexão rápida, finalmente, instalada em seu monte nas cercanias de Madrid. Imaginou que seria um jogo de crianças postar e que nunca mais deixaria abandonado o blog que ela tanto gosta.
Tóin. Errado!
O computador QUEBROU. Está difícil como nunca publicar qualquer coisa. Trava, desliga sozinho, ferve a paciência.
Acho que ele não aguendou a carreira… hihihi!
Estou em plena campanha por um novinho…
Please!
Ps: Este post precisou de mais de meia hora para ser publicado. A página está lista pero con errores. Inferno!

Categorias: Conversê de Janela | Tags: | 6 Comentários

Que Paraíso é Esse?


A primeira conversa:
-Oi, sou Eva.
-Hã ???
-Meu nome é E-v-a. Sou tua companheira aqui no édem.
-Hã ???
-Alouuuu!!!! Tem alguém aí ? …Sou Eva, mulher, linda e necessária, estou aquí (com um dedo mostrando a cabeça).
-Hã !!!! onde estou ???
-No édem, meu docinho. O paraíso, nossa casa.
-Como cheguei aqui?
-Foi Deus quem mandou. (Olhando pra cima, com “aquele” olhar)
-Que dia é hoje ?
-Domingo. O último dia da criação. Deus te criou pra me fazer companhia. Ele me disse que havia alguns defeitos, mas acho que ele exagerou. Vem cá, Adam, acho que você está com fominha, come essa maçã aqui, come.
-Agora ??? Acabei de acordar, estou com um jornal na boca e nú. Vou tomar um banho. (Pensando…Meu Deus, o que foi que eu bebi ontem, onde eu estava, o que foi que eu fiz ?????)
Deus sorrindo escondido, com seu sutil senso de humor, criou o almoço de família, futebol, praia, chopinho, bigbrother, fantástico, tudo aos domingos.
* Publicado por Sérgio Borges, no finado blog Pirata da Rua. Saudades dele!

Categorias: Conversê de Janela | Tags: | Deixe um comentário

Tá Bom…

Eu admito que estou devendo umas desculpas… sumi daqui, né?
Mas ando perdida por outras plagas, outras ondas literárias…
Ando com preguiça de sentar aqui e escrever. Não consigo ficar no computador muito tempo e menos ainda para pensar e escrever. E o pior é que tenho assunto de sobra!
Desculpem-me, queridos.
Estou mais para ler. E no papel mesmo!
Prometo tentar outro dia. Acontece que hoje também não vai dar…
Vamos ver Daniel Barenboim e uma orquestra composta por jovens palestinos, judeus e espanhóis, interpretando a 9• Sinfonia de Beethoven. Grátis, na Plaza Mayor de Madrid.
Imperdível!

Aí, depois eu conto. Juro!

Categorias: Conversê de Janela | Tags: | 14 Comentários

Enquanto isso…

No cantinho de blogar de Santorcaz eu estou preparando um post sobre um “Pueblo Dorado” que fui visitar, na província de Guadalajara.
Tirei esses dias de feriado para dar uma passeada por aí e não fazer nadica de nada em casa. Tá tudo desarrumadinho… e eu tranquííííílaaaaa.
Aí fui no blog da Denise, o Sindrome de Estocolmo, um dos mais gostosos da blogosfera e ela sugeriu um post com a foto do “Lugar de Blogar” .
Como eu gosto muito do meu, aderi.
Tá faltando só a caneca de café fumegante que sempre me acompanha.
Voltarei com um post lindo sobre os pueblos pre-romanicos da Sierra de Ayllon e umas trilhas que estou descobrindo.
Depois que deixei de fumar (oito meses já! uia!) e comecei a Yoga ( seis meses! como o tempo voa!) ando mais animada para esses programas ecológicos.
Pernas mais seguras, mais equilíbrio, maior flexibilidade.
Respiração mais tranquila…

Bueno, conto o passeio no seguinte post.
Por enquanto vejam que cantinho agradável… pena que a conexão lenta teste minha paciência todos os dias!
Ainda não consigo ficar zen diante da lentitude dessa minha tartaruga pre-histórica…

Categorias: Conversê de Janela | Tags: , | 22 Comentários

Beijos de Primavera…

Estive viajando por uns dias. Delícia!
Semana Santa em Andalucia é sempre um evento fantástico! E eu já fiz alguns posts sobre ela nos blogs anteriores a este. Há, inclusive, um post sobre a Semana Santa de Tarifa no baú do Cicatrizes da Mirada. Quem não viu, vale a pena ir ver.
E ver o mar então?
Ah! que saudade eu estava do mar!
Cantava Caymmi baixinho ao passear pela orla perfumada do Estreito de Gibraltar…
Quem diria! Cantar um velho baiano, pisando em terras flamencas e bem diante dos montes do Marrocos!
“… Andei, por andar andei…e todo caminho deu no mar.
Andei, por andar andei… nas águas de dona Janaína.
A onda do mar leva, a onda do mar traz
Quem vem pra beira da praia, morena…
não volta nunca mais…”

E eu quase podia ouvir o assovio do Lorde arrumando as varas de pescar, disposto a desaparecer no mar do Janga até o entardecer…
Ver o mar sempre é tão doce!
Tarifa é um “pueblo” muito lindo e gostoso. Só caminhar pelas ruas estreitas e ir ao mercado público comprar peixe e mariscos para fazer o almoço do dia já era uma alegria…

Na volta encontrei minhas flores enfeitando o jardim…
Plantei os bulbos em outubro passado e agora eles estão brotando por toda parte.
Jacintos, tulipas vermelhas,amarelas, rosas…
Um coisa linda de ver.
Ô momento espetacular é a Primavera!
Isso sem falar das minhas queridas amapolas, que já estão espalhadas por todos os meus caminhos!
Espero que tenham todos passado uma boa Páscoa e agradeço muito o carinho que recebi através dos comentários e e-mails.
Vou tentar postar o mais rápido possível.

Categorias: Conversê de Janela | Tags: | 8 Comentários

Olhando Pela Janela…

A brincadeira é olhar pela janela que fica ao lado do computador e registrar a vista.
Vi no blog de Ale, o Photos & Fatos
Então foi irresistível registrar a minha. Vejo três prunus enormes e lindos, perfeitamente floridos para anunciar a primavera. E de quebra, olhos-de-mar-azul lendo seu livro e enfeitando a minha vida.

A vista vale aceitar a sugestão da brincadeira e publicar aqui, não?
Eu gosto muito desde cantinho. Gosto de ler aí, ou apenas sentar e pensar.
Antes era um lugar para fumar um cigarro devagar, saboreando o momento. Agora que deixei de fumar ( por sinal já fazem seis meses, viva eu!) será um lugar só para pensar e – quem sabe – receber a visita dos esquilos.

 

 

Estou providenciando uma mesa de madeira. Na verdade não é uma mesa, mas será. Ainda é apenas um grande carretel de cabos de aço que encontrei perto dos pinheiros e estou pretendendo lixar, envernizar e usar como mesa para os drinks de verão…
As árvores convidam a tomar algo embaixo de suas copas.Tenho dez pequenos lampiões pendurados nelas.
Fica lindo!
Por sinal, no verão os prunus estarão verdes e a sombra será perfeita para as longas tardes e a leitura na rede. Delícia, viu?!
Não é um belo lugar? Pois sim… por aí passam lebres, pássaros de todos os tamanhos, esquilos, ouriços ( uma bolinhas de espinhos que não sei como chamar em português) casais de perdizes com seus filhotes… e raposas ruivas.
Um movimento que só vendo!
E pensar que antes eu achava que movimento mesmo era só nas cidades.

Categorias: Conversê de Janela | 18 Comentários

Calima e Outras Generalidades…


Uma crise de coluna ( que novidade é essa? ) me deixou entrevada como uma velha árvore. Qualquer movimento gerava uma forte dor e um gemido à altura. Assim, nada de sentar diante do computador, nada de responder e-mails nem ler blogs. De vez em quando o vício blogueiro me exigia experimentar, mas eu não aguentava mais de duas visitas. E meu computador é um “Lentium”, como diz o meu irmão. Não dava para aguentar as looongas esperas também.
Sonhei que ele escrevia ao som de minha voz! Quem dera!
Agora , que já estou melhor, admito que estava um tanto assustada com a nova experiência. Ter o corpo limitado em seus movimentos, com dificuldades para vestir e desvestir, tomar banho, virar na cama, etc. foi aterrador!
A gente não sabe o valor que é ter autonomia para tomar conta de si mesma até que se vê precisando de uma mão mesmo para o mais simples como, por exemplo, levantar do sofá. Ainda bem que tive duas belas e cálidas mãos para ajudar-me. Hum!
Mas confesso que o medo ainda não passou! Nem a dor completamente. Estou rodeada de almofadas mas o vício ganhou a parada hoje!
………………………………………
Quanto ao dia de San Valentin, aqui em casa o evento passou em brancas nuvens. Aliás, cinzentas nuvens! Madrid está coberta de calima. Isso significa uma bolsa de poeira suspensa sobre a cidade. Uma mistura de areia que vem do Sahara com partículas de poluição e névoa. A mistura dá a sensação de que a gente não deveria estar ali respirando, entenderam?
Pois sim… aqui no monte havia só a névoa com areia, mas somada com a dor no corpo me deixaram num baixo astral incrível. Assim, não tivemos vontade de sair nem de preparar nada para comemorar o dia. Fica para outra vez. Por sinal, teremos uma segunda oportunidade no dia 12 de junho.
Brasileiros tem duas datas não é? Eu aproveito TODAS!

Eu tinha até escolhido um vestidinho bem discreto, baseado na roupa eleita pela Ministra de Cultura para acudir à entrega do Prêmio Goya, mês passado. Perfeito para o dia de San Valentin, mas… infelizmente não deu.
A estilista desta “coisa linda e clássica” chama-se Ágata Ruiz de la Prada e sua linha vai de roupa íntima a perfumes, roupas de cama, mesa, banho e até mesmo roupa masculina. Cada coisa!
Sua marca registrada é o jogo de cores fortes, laçarotes e corações. E o preço? Nada barato, claro! Vender nome sempre é muito mais caro que vender a roupinha. Choca não?
Pois é. Agora diz que dinheiro compra bom gosto! Ho Ho Ho!

“Babar” de alegria foi começar outra pequena coleção de arte, desta vez de pintura contemporânea, pelo preço de um café com churros. Picasso veio grátis junto com o jornal El Mundo, mas vamos ter Balthus, Rodin, Miró, Klint, Munch, Magritte, Hopper, Matisse, Dalí, Chagall e muitos outros. Vai ser perfeito completar aquela coleção que fizemos o ano passado com os pintores clássicos lembram?

Aproveitando ainda a baba pelos livros…
Estou abobalhada com a beleza dos poemas de Pablo Neruda que eu ainda não conhecia, mas que graças a outra das maravilhas que é viver num país que facilita ao povo o acesso à boa literatura, estou tendo o prazer de conhecer e desfrutar.
Estamos fazendo uma coleção, publicada pela RBA com a colaboração do Instituto Cervantes. Chama-se Obras Completas de Grandes Autores de la Lengua Espanhola. Por dois euros, o primeiro volume de Borges e o de Lorca.
Saiu a um euro cada tomo! Depois chegaram também Neruda e Cortázar, por três euros!
Deu para entender o que significa promover o acesso a literatura?
E estou falando de Obras Completas!
Ufff… estou ficando louca com tanta oferta! A editora da coleção avisou que chegaria aos 12 euros por tomo mais adiante. Mas mesmo assim vale a pena! É muitíssimo barato!
O negócio era incentivar a compra no início e aos poucos ir chegando a um preço razoável para ambos, cliente e empresário.
Acaba de chegar Alejo Carpentier. Ui, meu Deus!
Além de ser uma coleção para manusear e ler JÁ, acho que também será um grande presente para os filhos e futuros netos que apreciem uma boa leitura.
Heim?! Que boa herança deixaremos não? Já dissemos aos meninos que além das terras (a areia dos vasos de plantas) que são muitas, deixaremos uma biblioteca saborosíssima!
Esperamos que desfrutem!
Ps: Marília pediu-me para escrever sobre as minhas manias. Vou tentar, querida! Talvez seja mais fácil que o currículum que nunca terminei.

Categorias: Baú de Cultura, Conversê de Janela | Tags: , , | 16 Comentários

Coluna Social…


Pois sim…
O Milton Ribeiro e a Cláudia chegaram e partiram num mísero piscar de olhos.
Enquanto eles desayunavam o Museo del Prado, desde as nove da manhã, com direito ao melhor de Velazquez e Goya, belos Bosch, Ruben, Ribera, Caravaggio, etc, nós conseguíamos evitar a hora punta e entrar em paz em Madrid.
O encontro foi pontual. Às 11:30 na porta norte do museu.
Segundo eles, duas funcionárias apontaram para direções contrárias ao serem perguntadas onde ficava a bendita porta. Vai ver elas tiveram a mesma professora de geografia que eu tive na infância. A freirinha ensinou-me que o norte era na minha frente, o sul atrás, leste à direita e oeste à esquerda.
Ora… simples, tonta! Não é?
Ainda morro de rir quando lembro que qualquer que fosse a minha posição eu achava que o norte estava sempre diante de mim! Rá!
Bueno… eles a encontraram ( a porta ) e nós também. (Foto do Milton num antigo sebo de livros)
A idéia era conhecer-nos caminhando entre as ruas e praças, tomando umas copas e provando umas tapas, até a hora em que eles voltassem ao aeroporto, com Roma como destino principal.
Madrid era só um pit stop.
E foi assim.

Depois de conseguirmos calçar a Cláudia, que veio com os pés prisioneiros e sufocados por uns belos e negros sapatos de salto e bico finos, torturantes e demolidores de qualquer tentativa de felicidade, ( minha especialidade em outras épocas e viagens) aproveitamos a beleza da cidade à pé, com sol e frio.
Delícia de dia!
( Foto na janela de uma Taberna ao lado da Plaza Mayor)
Entre a Puerta del Sol, Plaza Mayor, Plaza del Oriente e Palácio Real, caminhamos tranquilos e escutamos os músicos que tocavam nas ruas, entramos em antigos e tradicionais Tabernas, Cafeterias e Mesons de Madrid para uma conversa amena e agradável e as deliciosas tapas e vinhos espanhóis.
O cardápio madrileño é variadíssimo, mas ficamos entre pato defumado com queijo de cabra, salmão, jamón ibérico, lomo de cerdo, morcilla de burgos com setas, pães chapata e vinhos Rioja …. ufa! e batemos um papo tão descontraído e gostoso que nem sentimos o tempo passar.
Eles me trouxeram uma camiseta Verbeat ( objeto de desejo disputado quase no tapa aí no Brasil ), A Paixão Segundo São Mateus e As Suites para Violoncelo, de Bach (bárbaros!), um Aurélio virtual ( necessário e imprescindível para mim) e o livro manchete do momento na blogosfera, o Blog de Papel ( esse merece um post à parte).
Imaginaram minha cara de felicidade? HEiM?!
Pois sim… a-d-o-r-e-i !
À Milton dei um disco ( O Souk – Ethnic Fusion, de Tarifa ) que nem sei se ele vai gostar pois é uma proposta meio diferente do que ele costuma ouvir, mas à Cláudia dei um livro com as 100 Melhores Tapas Espanholas.
Esse com certeza ambos vão adorar!
Aí acabou o tempo.
Só deu para isso mesmo. Mas já valeu como primeiro contato pessoal.
Nós dizíamos isso a três por quatro, entre muitos abraços: “Que bom estarmos juntos aqui!”
Depois de uma curta volta de carro por Cibeles e outros monumentos, deixamos um Milton com cara de relaxado, quase adormecido, na porta do aeroporto às seis da tarde.
E uma Cláudia disposta a viajar com os confortáveis tênis comprados na Calle Preciados e relegar os belos e finos saltos à mochila de mão.
Ninguém merece ir sofrendo e infeliz à Roma.
Muito menos uma mulher cheia de graça e energia como ela. ( Foto na Meson De La Cava)
Aí…entrou por uma perna de pinto… saiu pela perna de pato…

E o Rei mandou dizer… Voltem!

Categorias: Conversê de Janela, Cotidiano das ruas, Mundo Virtual | Tags: , | 17 Comentários

SOUK- Ethnic Fusion

Voltei. Mas ainda sem poder postar como eu gostaria. Estou sem meu computador.
Este aqui é cheio de limitaçoes de tempo e também para editar as fotos. Nao tem os programas com os quais estou acostumada e sou meio lenta para descubrir as manhas e frescurinhas dele.
Espero ter o meu de volta esta semana ainda!
Por enquanto, vou tentar ficar em dia com a leitura dos blogs amigos e responder aos comentários deixados aqui.
Ah!… antes que eu me esqueça.
Uma das coisas interesantes que descobri em Tarifa foi uma música especial e própria da cidade. Lembram que falei em um dos posts passados? Pois entao…
SOUK- Ethnic Fusion. Este é o nome do disco.
Estava tocando em um bar na beira da Praia dos Lances, enquanto esperávamos sem qualquer pressa pelo belíssimo pôr-do-sol tarifenho.
Haviam apenas três ou quatro pessoas espalhadas pelas mesas do bar, de forma que nao havia qualquer barulho de gente falando.
Exceto pelo sol vermelho se escondendo atrás do horizonte, a praia estava deserta…
Por largos minutos o meu mundo era só essa mistura de vento, areia, luz e música.

A fusao de ritmos etnicos é o charme deste disco. Uma mescla de música indiana, árabe, flamenca, africana. Adorei! O arranjo feito para a música Lili Marlene está um arraso!
Fiquei tao apaixonada pelo disco que pedi ao garçom para vê-lo e no dia seguinte fui direto à loja onde podia adquiri-lo.
Descobri que era uma compilaçao feita em Tarifa mesmo, para um restaurante lindíssimo de comida indiana, árabe, chinesa, tailandesa, africana. Tentei conhecer o restaurante mas ele estava fechado. Ficou para a próxima visita, que espero seja em breve.
Adoro Tarifa!
* Fotos: Capa do disco e pôr do sol de Tarifa
Ps1: Vejam só! Já estou conseguindo postar umas fotos!!!
Ps2: Descobri uma página que tem imagens INCRÍVEIS do Restaurante Souk.
Nao deixem de ir vê-lo, embora a música que toca no site esteja longe da qualidade do disco. Talvez se animem a visitar o pequeno e belo pueblo andaluz em alguma provável visita à Espanha.

Categorias: Baú de Cultura, Conversê de Janela, Música, Viagem | Tags: | 16 Comentários

Quando Setembro Vier…

Adoro este mês. No Nordeste do Brasil ele significava a volta do sol, a entrada da primavera, a abertura das praias.
Aqui ele significa o fim do calor insuportável do alto verão e o início de um clima mais ameno.

É a época mais propícia para sair por uns dias de férias e procurar o mar. A maioria dos veranistas já estará de volta às suas cidades e ao trabalho. Os estudantes estarão envolvidos com matrículas e compra de livros para o início do ano escolar e tudo vai voltando ao seu lugar.
Bueno… para nós é hora de fazer as malas e partir para o sul. Viajaremos no próximo dia 30.
Vou desaparecer dos blogs amigos por quase 15 dias. Mas espero poder acessar o Língua de Mariposa para ver os comentários, se encontrar algum cyber por perto.

Outro bom motivo para gostar de Setembro é que este é o mês de meu aniversário.
E eu sempre adorei o dia de meu aniversário!
Quando era pequena gostava de ver minha mãe e tias na cozinha preparando a festa. Encantava-me vestir roupa nova e ganhar presentes! Sempre fui o xodó das tias e ganhava presentes adoráveis. Quebra-cabeças, livros de contos, lápis coloridos, massa de modelar, roupas novas! Uma delícia!
Depois, na adolescência, comecei eu mesma a organizar a pequena festa. Enchia a casa de Casa Forte de amigos para jogar voleyball, dançar e comemorar meu dia. Ainda recordo as pantalonas coloridas com as quais dançávamos Pata-Pata, de Míriam Makeba ou os passos elaborados que ensaiávamos a semana inteira para imitar nosso ídolo da época: Tom Jones!
O tempo foi passando, as músicas mudando, novos amigos chegando e as festas foram ficando mais intimistas, com um jantarzinho e uma serenata ao som dos violões, e que se estendiam até o amanhecer!
Quando cumpri os 40 anos resolvi marcar a data com uma festa espetacular.
Pois sim… reservei uma boate da moda e convidei uns cem amigos de todas as épocas, incluindo aqueles da minha adolescência. Foram todos e mais alguns!
Dançamos até o amanhecer ao som da banda Anos Dourados que tocava de um tudo, desde as músicas que meus pais adoravam nos anos 50 até os temas mais modernos dos anos 90.
Foi uma noite inesquecível! Os amigos organizaram uma surpresa especial à meia noite, com a exibição de um clip do Fantasma da Ópera ( uma das minhas paixões) nos telões da boate e uma enorme torta com uma vela!
Que noite feliz!
Foi tão gostoso que resolvi ficar nos 40 por um tempo indefinido!
Ho ho ho!
A gente pensa que pode reter a felicidade e enganar o tempo…
E assim passei uns anos fazendo 40! Os amigos morriam de rir quando eu convidava-os para repetir a data e já estavam quase perdendo as contas.
Depois quem se perdeu fui eu… naquelas brumas. E os aniversários só aconteciam porque eles mesmos se organizavam para invadir a minha casa, cheios de comes e bebes, presentes e carinho transbordando pelos abraços e beijos.
No último aniversário que cumpri em Recife, fiz uma espécie de despedida num pequeno cais, ao por do sol do bairro do Pina.Foi lindo! Estavam todos lá exceto minha mãe e um dos meus anjos-amigos, o médico que me curou.
Como eu gostaria que pudessem ter visto minha felicidade por estar vindo viver com olhos-de-mar-azul uma nova etapa da minha vida!
Agora, neste 15 de setembro, vou cumprir 50 anos!
Minha Nossa! 50 anos é um marco especial na vida da gente. Qualquer dia desses escreverei sobre as mudanças que ando experimentando!
Mas o que sinto muitíssimo é estar longe dos amigos de toda a vida, das músicas que escreveram comigo minha história, da família, da minha cidade.
Hum…
Mas nada de curtir tristezas no meu mês.
Vou comemorar como Deus manda! Dez dias de praias na Costa de la Luz, festas andaluzas para dançar flamenco e sevilhanas… muito vinho, tapas espanholas e amor.Livros novinhos para ler e amor são os melhores ingredientes para boas férias.
Estou sentindo-me muito bem. Afinal fazer 50 anos, feliz e com saúde, vivendo um amor delicioso e maduro, num país como a Espanha, alegre e cheio de vida, é um privilégio!
Esta é a minha festa!
Ano que vem eu vou e faço 50 de novo, no Brasil!
Afinal, não tenho pressa alguma em cumprir 51!!!

Categorias: Conversê de Janela | Tags: | 37 Comentários